BE3223

Compartilhe:


Jornal Hoje – Rede Globo – 2/1/2008
 
Casa própria


Ano novo, novas regras para o financiamento da casa própria com recursos do fundo de garantia por tempo de serviço. Para quem recebe menos, os juros baixaram. E quem ganha mais, agora vai poder usar essa linha de crédito para fugir do aluguel.
 
Olhar, sonhar e comprar e agora com juros mais baixos. A classe média que antes não tinha acesso aos empréstimos mais baratos já pode financiar a casa própria com recursos do fundo de garantia.
 
A mudança foi grande. Antes a linha de financiamento do FGTS só podia ser usada por quem ganhava até R$ 4,9 mil. E para imóveis que custassem no máximo R$ 130 mil. Agora quem ganha mais poderá comprar imóveis de até R$ 350 mil desde que o valor do empréstimo não ultrapasse R$ 245 mil. A exigência é que o comprador tenha contribuído, pelo menos, três anos com o FGTS.
 
A grande vantagem para a classe média é a taxa de juros de 8,66% ao ano mais TR, bem menor que os 10% e11% cobrados pelo mercado. Especialistas calculam que num financiamento de 245 mil em 20 anos, por exemplo, a economia é de cerca de R$ 44 mil.
 
Mas como tudo o que é bom o financiamento barato pode durar pouco. A linha de crédito para a classe média é de apenas R$ 1 bilhão. "Acabou esse recurso você pode não ser mais atendido na sua necessidade e aí só através de uma nova decisão do conselho curador do FGTS", explica o diretor do Instituto de Registro Imobiliário, Carlos Eduardo Fleury.
 
Já para quem ganha até R$ 4,9 mil a quantidade de dinheiro para a casa própria é muito maior. E a novidade nos empréstimos populares é a redução de meio ponto percentual na taxa de juros, um benefício a mais para quem tem conta no fundo de garantia. "Para a habitação popular os recursos alocados para 2008 são da ordem de R$ 7,4 bilhões", diz o superintendente nacional do FGTS, Joaquim Lima.
 
Com a redução da taxa em meio ponto percentual, os juros nos empréstimos populares serão de 5,5% ou 7,66% ao ano, dependendo da faixa de renda do comprador.